sábado, 6 de outubro de 2012

Barra Mansa - Eventos Políticos

Concentração política em frente à Igreja Matriz. - 02/07/1915

















 
 Inauguração da ponte Nilo Peçanha. - 1905 

Lançamento da Pedra Fundamental da Siderúrgica Barra Mansa - 1935

Construção da Cia. Nestlé. - 1936


 Inauguração da Ponte sobre o Rio Bananal na Bocaininha. - 1937



Inauguração do Serviço de Bombeiro na Avenida Joaquim Leite).- 1938


 Visita do Gov Alfredo da Silva Neves. - Década 1930


Visita do então presidente da República Getulio Vargas.








terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Estação da EF Central do Brasil em Barra Mansa

Em meados do século XIX, Barra Mansa era um centro de serviços e comercialização das prósperas fazendas de café. O crescimento da antiga vila e a elevação em 1857 à categoria de cidade estão diretamente ligados à produção cafeeira. A inauguração da ferrovia assinala uma nova etapa da história urbana não somente pela agilidade de escoamento da produção agrícola, mas também pela maior facilidade de comunicação com os outros núcleos regionais e com o Rio de Janeiro. Mesmo depois do declínio da cultura do café a ferrovia ajudou a definir nova vocação industrial que se mantém até hoje em Barra Mansa. A antiga estação inaugurada em 1871 representa assim um marco histórico no desenvolvimento da cidade. Foi inaugurada pela princesa Isabel e pelo conde D’Eu. O núcleo da construção de alvenaria convencional tem planta retangular e dois pavimentos. O aspecto mais notável é a estrutura de ferro da cobertura da plataforma de embarque. Com a desativação da estrada de ferro o edifício ficou abandonado e chegou a incendiar- se. Em 1988 foi restaurado para abrigar um centro cultural. Hoje, está entre os bens tombados pelo Instituto Estadual de Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro. 

Estrada de Ferro Pedro II - 1881

                                              


Estrada de Ferro Central do Brasil

 HISTORICO DA LINHA: Em 1869, foi constituída por fazendeiros do Vale do Paraíba a E. F. do Norte (ou E. F. São Paulo-Rio), que abriu o primeiro trecho, saindo da linha da S.P.R. no Brás, em São Paulo, e chegando até a Penha. Em 12/05/1877, chegou a Cachoeira (Paulista), onde, com bitola métrica, encontrou-se com a E.F.Dom Pedro II, que vinha do Rio de Janeiro e pertencia ao Governo Imperial, constituída em 1855 e com o ramal, que saía do tronco em Barra do Piraí, Província do Rio, atingindo Cachoeira no terminal navegável dois anos antes e com bitola larga (1,60m). A inauguração oficial do encontro entre as duas ferrovias se deu em 8/7/1877, com festas. As cidades da linha se desenvolveram, e as que eram prósperas e ficaram fora dela viraram as "Cidades Mortas"... Com a queda do Império, a E.F.D.Pedro II passou a se chamar E.F.Central do Brasil, que, em 1890, incorporou a E.F. do Norte, com o propósito de alargar a bitola e unificá-las. Os trabalhos começaram em 1902 e terminaram somente em 1908. Em 1957 a Central foi incorporada pela RFFSA. Em 31 de outubro de 1998, o transporte de passageiros entre o Rio e São Paulo foi desativado, com o fim do Trem de Prata, mesmo ano em que a MRS passou a ser a concessionária da linha.
  
Estação Ferroviária de Barra Mansa - EFCB 1939 


O prédio da Estação esteve abandonado por vários anos e neste  período sofreu com a depredação e um incêndio, fazendo com que quase desaparecesse da história, mas graças à manifestações populares, o prédio que estava abandonado, foi totalmente reformado. O prédio, que está entre os bens tombados pelo Instituto Estadual de Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro, já abrigou a biblioteca Municipal, mas hoje abriga o Centro Cultural Estação das Artes.

Incêndio Est. Barra Mansa. -  Década 1980.              

  







Estação reformada - Década de 1990 





quinta-feira, 4 de agosto de 2011

TREM MINEIRO

O Trem Mineiro ligou durante 71 anos as cidades de Barra Mansa (RJ) e Ribeirão Vermelho (MG). 
O fim da linha Barra Mansa-Ribeirão Vermelho - também chamada de Barra Mansa-Lavras - deu-se em 26/08/1996, com a privatização da RFFSA. 
Esta linha era também chamada de Mineirinho ou de Trem Mineiro.


Trem de carga da Rede Mineira de Viação, na ponte de Barra Mansa, década de 1930.

Ao fundo a Ponte de Ferro (Trem) - ligando a Varzéa das Oficinas/Vila Coringa. -  Barra Mansa 1936

Ponte da estrada de ferro da rede mineira sobre o Rio Paraíba do Sul. - 1941

Ponte sobre o Rio Paraíba do Sul. Barra Mansa - 1941
  
 
Estação Ribeirão Vermelho nos anos 1990.



Estação de Ribeirão Vermelho. -  1990



Trem na estação de Arantina. - 1980


Rotunda abandonada no pátio da estação, em Ribeirão Vermelho. 


Estacão do Trem Mineiro - Barra Mansa

Ribeirão Vermelho - A rotunda e o pátio nos áureos tempos. 

Trem na estação de Ribeirão Vermelho, vendo-se ao fundo a rotunda. -  1980

 
Trem em Passa-Vinte. - 1995 


Trem chegando em Engenheiro Bhering. - 1990

  Estação da EFOM (Estrada de Ferro Oeste de Minas), em Barra Mansa 1922.

sábado, 30 de julho de 2011

Av. Joaquim Leite

Principal centro comercial do município, a avenida Joaquim Leite  sempre concentrou e ainda concentra as principais lojas comerciais da cidade. Acompanhe através de fotos a evolução da paisagem urbana do local.
 

 Av. Joaquim Leite - 1920

 Av. Joaquim Leite - 1926

 Av. Joaquim Leite - 1935

Av. Joaquim Leite - 1938 

Av. Joaquim Leite - 1940

Av. Joaquim Leite - 1942

 Av. Joaquim Leite - 1945 (Desfile cívico de 07 setembro)




quarta-feira, 27 de julho de 2011

Igrejas

Igreja do Divino Espírito Santo, em Rialto. Sua construção foi iniciada em 1833 e concluída em 1850.


 Capela de São Benedito. 1940 - Atual Edifício Benedictus.


    Igreja da Imaculada Conceição - Antônio Rocha

Praça da Matriz São Sebastião. - 1939

    Praça Ponce de Leon. - 1937


Igreja de Nossa Senhora do Amparo, teve sua construção concluída em 1865 por ordem do então presidente da província do Rio de Janeiro, Visconde do Rio Bonito.


 Capela N. Sra. Aparecida, em frente ao atual Ed. Benedictus - Década de 1960


Igreja de Santo Antônio - Saudade 


Barra Mansa

Brasão de Barra Mansa

       Por volta do ano de 1700, chegar a São Paulo era uma tarefa quase impossível, por causa da barreira natural criada pela Serra do Mar. Mas, para que a viagem se tornasse mais rápida, o então governador Luiz Vaía Monteiro ordenou que fosse aberto um caminho através da serra de Itaguaí.
        Depois de concluído o caminho, várias incursões foram feitas até o rio Paraíba do Sul, mas sem o compromisso de se formar povoados ou vilas. Estas incursões eram quase sempre formadas por aventureiros à procura de ouro ou por caçadores. O primeiro indício de povoamento se deu em 1764 quando Francisco Gonçalves de Carvalho obteve junto ao vice-rei D. Antônio Álvares da Cunha, uma sesmaria para fundar uma fazenda de gado e mantimentos entre o rio Paraíba do Sul e o rio Bananal, exatamente no local onde se encontrava um córrego chamado de Barra Seca ou Barra Mansa.
Em 1765, José Alberto Monteiro também obteve do vice-rei uma sesmaria à margem do Rio Paraíba, onde é hoje Volta Redonda. Com o passar dos anos, estas sesmarias foram mudando de donos, até que, por volta de 1827, chegaram, por herança, às mãos do Coronel Custódio Ferreira Leite, o Barão de Aiuruoca, fundador do município. A partir daí, o local tornou-se ponto obrigatório de passagem de tropas de viajantes a caminho de portos marítimos. Em 1800, nas terras de Henrique Magalhães, bem próximas à foz do rio Barra Mansa, já existia um engenho e uma capela. Aos poucos, um pequeno núcleo populacional começou a surgir e o início do povoamento animou o Coronel Custódio Ferreira Leite, que mandou construir outra capela, à margem direita do Paraíba, também dedicada a São Sebastião, localizava-se quase em frente à Fazenda Ano Bom, na margem oposta do rio.
O pequeno povoado foi crescendo e, em 3 de outubro de 1832, graças a um ofício dirigido à Assembléia Geral Legislativa do Império, foi criada a Vila de São Sebastião de Barra Mansa, passando a fazer parte da vila terras desmembradas das vizinhas Resende, Valença e São João Príncipe.

Abaixo publicaremos algumas fotos antigas e atuais contando, fatos sobre a história do município.


    Vista parcial de Barra Mansa - Bairro Estamparia

    Vista Aérea do Bairro Saudade.

    Vista aérea - 1941 (Observa-se o antigo moinho, atual sede da Prefeitura ao fundo).

    Vista parcial da área central - 1949

    Vista parcial com av. Joaquim Leite e a Igreja matriz de São Sebastião.

    Planta de Barra Mansa

    CIA Néstle.